Sabemos que os investimentos em automação e mecânica para transformar uma fábrica em um negócio rentável com processos assertivos são muito altos. Sendo assim não podemos deixar nossos produtos ser manuseados em qualquer tipo de equipamento.

Abaixo listamos três problemas que você pode enfrentar com seu Silo Graneleiro e as respectivas soluções encontradas e aplicadas pela AGPR5 em seus produtos.

01 – Quebra de Pelete.

Problema

Os Silos graneleiros que estão no mercado possuem tubos muito pequenos e a velocidade de rotação das helicoides são muito altas, isso causa a quebra de peletes, resultando num desperdício de até 40% do produto.

Solução AGPR5

Os silos desenvolvidos aqui possuem Tubulação com maior diâmetro e helicoides com baixa rotação reduzindo o desperdício em até 75%.

02 – Contaminação de carga

Problema

Além do desperdício, o acumulo de ração nos Silos são muito comuns, isso acontece, pois, seus projetos dificultam o escoamento de todo o produto, fazendo com que a contaminação de uma ração para outra seja muito alta.

Solução AGPR5

Os modelos arredondados dos Silos ofertados por nossa empresa são totalmente eficientes no escoamento do pelete, podendo chegar a ZERO a contaminação do produto.

03 – Quebra e rachadura do Silo

Problema

As estradas brasileiras infelizmente não oferecem boa estrutura para tráfego de veículos tão extensos, o resultado é a quebra e rachadura constante de caminhões, principalmente de silos.

Solução AGPR5

Nossos Silos possuem modelos compactos e o design redondo ajuda na prevenção da quebra. Desta forma o equilíbrio do peso e o menor espaço entre eixos dão maior durabilidade para os equipamentos fornecidos.

Solução extra AGPR5

Silo com peso reduzido

As tampas utilizadas em nossos silos são construídas todas juntas e as mesmas servem como plataforma caso seja necessário alguém se locomover por cima do Silo. Além de praticidade, essa solução reduz ainda mais o peso do Silo.

Para maiores informações acesse: https://marketing.agpr5.com/silos-graneleiros-agpr5-solucoes-em-transportes-de-racoes